Dayan Serique (PPS)

O popular socialista foi à tribuna, durante o tempo de bancada, para repercutir o processo eleitoral da Mesa Diretora da Casa, realizado na última segunda-feira (03/12). “A eleição ganha quem faz a maioria. Ás vezes os meios justificam os fins para uns e para outros não. Temos um presidente eleito do qual vamos cobrar para que honre os votos. Sabemos que tem toda a condição de fazer uma boa administração e corresponder às expectativas da população”, ressalta.

O outro ponto que o parlamentar abordou foi acerca das dificuldades, pelas quais, segundo ele, Santarém estaria enfrentando, tal como outros municípios Brasil afora. Serique foi taxativo ao apontar o que seria uma das causas da falta de medicamentos em postos de saúde, por exemplo. “Paga-se assessoria demais e fica faltando [recursos] para comprar remédio”, afirma.

Dayan foi além, e apontou “que a saída é demitir esses assessores para poder render dinheiro para comprar remédio”. Para ele é importante que se tenha essa leitura para tomar como prioridade a população. Ainda de acordo com o segundo vice-presidente da Mesa Diretora, “tem gente que tem trocentas assessorias, depois vem aqui [à tribuna] cobrar. [A Prefeitura] Poderia estar comprando remédio, mas está pagando assessor”, aponta.

O vereador finalizou com mais uma crítica. Essa sobre, de acordo com ele, à “questão da postura”. ‘Não adianta vir falar aqui em CPI como forma de chantagem ou intimidação. Ás vezes você faz um ato e recebe outro, porque toda ação tem uma reação. A população merece e espera muito mais de nós vereadores’.