Sessão ordinária de 08 de Agosto de 2018.

Tadeu Cunha (DEM)

O democrata relatou que esteve na agência do Banco da Amazônia, na manhã desta quarta-feira (08/08), e ficou preocupado com o atendimento dispensado na instituição. Segundo ele, um homem aguardava por três horas para realizar um depósito: teria entrado 10h48min e foi atendido quase às 14h. “Isso não pode acontecer”, esbravejou o parlamentar.

Tadeu disse que procurou a gerência, a qual estaria ausente no momento, e ouviu ao questionar quem o atendeu que teriam somente dois caixas disponíveis e uma lei permitiria ao funcionário descansar por determinado tempo, contado em minutos.

O segundo secretário da Mesa Executiva teria contra-argumentado expondo a lei 17.911/2005 que preconiza o tempo máximo de espera na fila pelos clientes. O vereador informou que enviará à administração do BASA um pedido de esclarecimentos e de melhorias no atendimento.

Segundo Cunha, a superintendência do banco será desativada no município, e se não for feito nada em relação ao problema, Santarém poderá perder mais da instituição, que o democrata considera essencial para o desenvolvimento da região.

O presidente da Comissão de Saúde falou ainda das constantes reclamações sobre a gestão da OS Instituto Panamericano no Hospital Municipal e na Unidade de Pronto Atendimento 24h. Ele ressaltou que a Casa não estivesse aceitando o modelo de gestão anterior da saúde no município, que acompanhou todo o processo de mudança, e que precisa acompanhar a atuação da organização. Tadeu salientou que tem semanalmente levado as demandas da população à administração da OS.

Inclusive, esteve no refeitório do HMS na semana passada, onde almoçou, e teria constatado que a comida é saudável.

O parlamentar chamou a atenção dos pares para estarem presentes nas visitas às unidades hospitalares. “Não demos cheque em branco para ninguém”, destacou o vereador, que lembrou ainda que a OS apresentou à Câmara uma prestação de contas dos 90 dias de gestão. “Agora somos nós que vamos colocar para eles os problemas que chegam à Casa”.

Ele concluiu anunciando uma reunião de trabalho para tratar do serviço de expedição de declaração de óbito de pessoas que morrem em casa de mal súbito ou doenças.