Vereadores recebem visita de comitiva da Marinha

A Câmara de Santarém recebeu, na manhã desta terça-feira (09/07), uma comitiva da Marinha do Brasil. 

O encontro aconteceu no gabinete da Presidência. Os vereadores Emir Aguiar (PODEMOS), Maria José (DEM), Tadeu Cunha (DEM), Alaércio Cardoso (PRP), Paulo Gasolina (DEM) e Júnior Tapajós (PL) expuseram algumas demandas e ouviram outras dos militares. 

A comitiva da Marinha foi composta pelo vice-almirante Newton de Almeida Costa Neto, comandante do 4° Distrito Naval, a Capitã de Corveta Ivone de Oliveira Freitas Ricardo, que é assistente do comando do 4º D.N. e o comandante da Capitania Fluvial de Santarém Capitão de Fragata Fábio Luiz Benincasa. 

A primeira discussão foi sobre educação. O comandante do 4° D.N. destacou que a Marinha estaria tendo problema com cursos básicos ofertados pela capitania em Santarém por conta do baixo desempenho dos candidatos em conhecimentos da escola básica. 

O vereador Tadeu Cunha e a vereadora Maria José, presidente da Comissão de Educação, pontuaram as dificuldades em "se fazer educação na região". 

O vereador Alaércio, que preside a comissão de recesso, sugeriu que se faça uma rota escolar nas comunidades ribeirinhas levando orientações a crianças e aos comunitários.  

O vice-almirante recepcionou bem a ideia.  "Levamos o pessoal e material e fazemos palestras", ressaltou o comandante do 4º D.N., colocando ainda que seria preciso observar as prioridades. "Quais são e quantas são nossas escolas? Nós juntos trabalhamos melhor". 

Os vereadores questionaram o vice-almirante sobre o porte da Marinha em Santarém e a respeito das expectativas com o governo Bolsonaro. Neto foi enfático ao responder que não se espera muito porque, segundo ele, “o governo está com o 'caixa quebrado’. O dinheiro para investimento é curto" e, quanto às dimensões do atendimento da força em Santarém, ressaltou que depende de números, ou seja, da necessidade de maior aporte a partir do porte de embarcações e demanda.

Para finalizar, o vice-almirante sugeriu a criação de um fórum permanente no município da mesma forma que acontece em Belém. Os vereadores se disponibilizaram em articular a ideia.

Por Jefferson Santos – Jornalista da ASCOM/CÂMARA