Sessão ordinária de 11 de Junho de 2018.

 Antonio Rocha (MDB)

O presidente da Casa relatou sobre uma visita que fez à Comunidade Volta Grande, no Km 50 da Rodovia Santarém Curuá-Una, na região de Planalto. O vereador tratou da situação da Escola Municipal Elias Pinto, que estaria em “péssimas condições”, e a pedido da direção do educandário o emedebista deverá levar a demanda ao conhecimento do prefeito Nélio Aguiar.

O parlamentar falou ainda sobre um poço fundado na Comunidade Boa Esperança, também localizada à margem da PA 370, ainda no governo do tucano Alexandre Von. O equipamento teria capacidade para 100 mil litros de água, e teria sido construído com seis polegadas e com uma bomba de mesma medida, que teria quebrado, o que teria deixado o poço sem funcionar.

O emedebista lembrou que outro poço construído à época da gestão de Ruy Corrêa estaria servindo a comunidade, mas o vereador anunciou que, por meio de requerimento, pediria ao prefeito que interceda junto à empresa Construnorte, responsável pela obra, pois os moradores teriam o informado que o prazo da garantia da obra deverá encerrar em 31 de dezembro/2018. Ele ressaltou que a comunidade aguarda que se resolva o problema imediatamente. Pediu, inclusive, aos pares que o ajudem a reivindicar.

Antonio Rocha também tratou acerca de um posto de saúde no bairro Área Verde, também construído no governo Von. Ele lembrou que já havia trazido o assunto à tribuna em outro momento, e lançou o convite aos vereadores que fizeram parte da base da gestão passada, para que reivindiquem a ativação do equipamento; que o acompanhem em uma visita ao logradouro para saberem “onde está o erro”.

O emedebista estendeu o convite, então, ao presidente da Comissão de Saúde, Tadeu Cunha (DEM), e citou que já pediu informação da secretária de Saúde sobre a demanda. Ainda de acordo com o parlamentar, a impressão é a de que só faltam portas e pintura ao se passar em frente à obra.

O presidente finalizou informando que fora procurado por um grupo de moradores de Alter do Chão, do bairro Carauari, que trouxe um abaixo-assinado pedindo que o vereador interviesse junto ao secretário municipal de Infraestrutura e ao prefeito para que se faça manutenção em duas “ruas intrafegáveis” naquele bairro do distrito.