“A saúde do jeito que está, não dá”, afirma JK do Povão

0

O parlamentar considera descaso com o setor de Regulação e a Ouvidoria do SUS, nos últimos oito anos. 

JK do Povão (PSDB)

O vereador JK do Povão (PSDB) afirmou, nesta terça-feira (10/03), durante sessão na Câmara Municipal de Santarém, que a Saúde do município sofre há décadas com o descaso. Após visita ao setor de Regulação e à Ouvidoria do Sistema Único da Saúde (SUS), da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), o descaso de anos de governos anteriores com esses setores, importante para a saúde do município. “Setores esses sem estrutura nenhuma. No setor de Regulação, nove pessoas estavam trabalhando em uma sala pequena com equipamentos sem condições de trabalho”, afirma.

O parlamentar enfatizou os números que mostram total desprezo pelo poder público. “O mais impressionante, uma demanda enorme de quase 10 mil atendimentos em relação a consultas, exames e cirurgias que até hoje não aconteceram. De acordo com informações que obtivemos são consultas que já chegam há cinco anos na fila de espera”. JK se comprometeu em solicitar as informações exatas de pacientes na fila de espera e na próxima semana trazer para o plenário.

Na Ouvidoria do SUS, de acordo com o parlamentar, o descaso ainda é maior. “O serviço foi implantado aqui no município em dezembro de 2009, ainda no governo da ex-prefeita Maria do Carmo e nem ex-prefeito Alexandre Von e o Nélio, ou seja, há mais de uma década, não providenciaram melhorias e nem as demandas repassadas para Santarém. O problema da saúde é a falta de gestão e do jeito que está não dá para continuar!”, finalizou.

Na Ouvidoria do SUS, de acordo com o parlamentar, o descaso ainda é maior. “O serviço foi implantado aqui no município em dezembro de 2009, ainda no governo da ex-prefeita Maria do Carmo e nem ex-prefeito Alexandre Von e o Nélio, ou seja, há mais de uma década, não providenciaram melhorias e nem as demandas repassadas para Santarém. O problema da saúde é a falta de gestão e do jeito que está não dá para continuar!”, finalizou.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade