Município e assentamento: Lago Grande vira foco de demandas distintas envolvendo seu território e Câmara as debate

0

O vereador Gerlande Castro (PSB) voltou a enfatizar seu posicionamento contrário à proposta de implantação de assentamento na região do Lago Grande. O peessebista o fez, durante a sessão ordinária desta quartafeira (13), quando anunciou que o resultado do estudo técnico para viabilidade da consulta plebiscitária para criação do município de Curuai foi publicado no Diário Oficial do Estado, neste dia. Ele relatou que recebera um documento que deu essa informação.

Gerlande pediu apoio dos pares para que, de acordo com ele, o pretenso município não seja para que os munícipes vivam “da Prefeitura ou da Câmara”. O vereador até exemplificou tal situação, citando os municípios vizinhos de Aveiro e Curuá, os quais, segundo o parlamentar, não usufruem de suas riquezas como deveriam.

A introdução do vereador sobre sua opinião contrária ao assentamento em Lago Grande foi para contextualizar com a possibilidade de emancipação, uma vez que, para ele, a implantação desse sistema pode inviabilizar o desenvolvimento econômico da região e do futuro município. Ele voltou também a criticar a forma com que a questão está sendo colocada em discussão pelo Ministério Público Federal (MPF), o qual teria marcado audiências em comunidades pequenas no Lago Grande e no Arapiuns. Gerlande e outros vereadores que representam o Lago Grande não gostaram da ação do MPF, além da falta de convite à Câmara de Santarém.

Ao final, o parlamentar parabenizou o colega Erasmo Maia (UNIÃO) pelo debate sobre a regularização fundiária do município, que engloba a demanda lago grandense. Também deu boasvindas e parabéns ao colega Andreo Rasera (MDB) que participava da sua primeira sessão ordinária, nesta quartafeira.

Por Jefferson santos jornalista da Ascom da Câmara de Santarém

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade