Presidente da Câmara fala em “resgate da dignidade” ao lembrar deflagração da ‘Perfuga’ há dois anos

0

Durante a sessão ordinária desta quarta-feira (07/08), a segunda após o retorno do recesso parlamentar, o presidente da Câmara Municipal de Santarém Emir Aguiar (PODEMOS) usou o tempo de liderança de seu partido para fazer um balanço dos sete meses e sete dias à frente da gestão do Poder Legislativo. Para tanto, o vereador destacou o principal objetivo de sua administração: a transparência. Detalhando, Aguiar pontuou que tem sido realizada prestação de contas até o dia 20 de cada mês e complementou com a informação de que a Casa logo deve iniciar licitações na modalidade pregão eletrônico. O presidente frisou ainda a economia de recursos que tem sido feita, segundo ele, com o apoio de todos: vereadores, funcionários e direção administrativa. Emir Aguiar deu como exemplo, o consumo de combustível, “isso graças aos servidores, aos chefes de gabinete, que têm reunido com o diretor [Alberto Portela]”, inclui. O parlamentar, que está no quinto mandato e é o decano da Casa de Leis santarena, remontou este 07 de agosto à mesma data em 2017, quando foi deflagrada a operação denominada “Perfuga”, da Polícia Civil em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA). “Esta Casa enfrentou um dos piores episódios de sua existência”, lamentou o presidente, ressaltando que almeja, juntamente com os pares, “devolver à sociedade a dignidade deste Poder”. Ainda sobre esse duro tema, Aguiar apontou que há uma “busca incansável de respeito à coisa pública. Nosso papel é acompanhar e, acima de tudo, fiscalizar, in loco, todas as atividades do Executivo”. O vereador finalizou falando em resgate da credibilidade da Câmara, fazendo, de acordo com ele, uma gestão compartilhada e participativa, construindo uma visão futurista. “Para que possamos, em um futuro bem breve, ter uma cultura diferente de outrora”. “Esta legislatura tem o compromisso de fazer esse resgate, e vamos fazer”, concluiu Emir em um tom de esperança.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade