Com a suspensão dos cultos e missas, Conselho de Pastores recorre à Bancada Evangélica em busca de apoio para apelo ao Executivo

0

Na manhã desta segunda-feira (25/01), os vereadores Carlos Silva (PSC), Pr. Ângelo Tapajós (Republicanos) e Elielton Lira (Avante), que compõem a Bancada Evangélica, reuniram com o Conselho Municipal de Pastores (Consepas), para tratar de alguns pontos do novo decreto municipal, dentre eles o de que a lotação não poderá ultrapassar o quantitativo de 10 pessoas nos cultos, missas e demais celebrações religiosas.

O Conselho entende que o momento pelo qual o mundo passa, toda forma de prevenção ao combate à covid-19 é de suma importância para manter a população protegida, porém o número de pessoas decretada pelo comitê, não é o suficiente para a realização dos cultos e missas, portanto grande parte das igrejas em Santarém estariam de “portas fechadas”, tendo em vista que as igrejas são como atividades essenciais, pois também realizam obras sociais e cuidam da saúde emocional de pessoas, que vão em busca de ajuda.

“A igreja é um dos fatores primordiais para tratar a saúde emocional das famílias. Hoje memo tivemos que intervir numa tentativa de suicídio. E as igrejas não podem ser penalizadas pela falta de bom senso de parte da população, que não vem obedecendo as medidas de segurança, pois as igrejas já estavam obedecendo”, ressaltou Pr. Jean Carlos.

O Conselho afirmou que as igrejas já estavam cumprindo rigorosamente as medidas de segurança, antes da atualização do decreto municipal, por isso eles solicitam o apoio da bancada, para apelar ao Poder Executivo, para que ele reveja o decreto e considere o número de 30% da capacidade de membros, não deixando ultrapassar o quantitativo de 100 pessoas.

“Vamos conversar com o Executivo, pois somos testemunhas de que as igrejas evangélicas e católicas estavam obedecendo aos protocolos de prevenção ao combate à Covid-19. Todas têm um papel fundamental para o município, levaremos esse apelo, para voltar como estava antes de 30% da capacidade e sem ultrapassar o número de 100 pessoas”, afirmou Carlos Silva.

A bancada sugeriu ao Conselho que fizesse um documento inserindo a igreja católica e evangélica, reforçando os anseios e justificativas para o Executivo.

Heloisa Pinheiro – Assessora de Imprensa do vereador Carlos Silva

 

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade