Em seu primeiro dia como vereador, advogado Andreo Rasera faz discurso emocionante sobre inclusão e agradecimento

0

Há um ditado popular que reza: “para tudo há uma primeira vez”. Pois bem, seja certeza ou não do adágio, em
História, naturalmente, alguém, em dado momento e espaço há o início para que uma trajetória se faça. Assim o
foi, nesta quartafeira, 13 de abril de 2022, no plenário Vereador Benedito Magalhães da Câmara Municipal de Santarém, em que pela primeira vez um vereador cego iniciou seu mandato, quando também foi o dia em que tomou posse como parlamentar do Poder Legislativo de Santarém.

Andreo Rasera (MDB) fez também, nesta data, seu primeiro discurso, durante sua primeira sessão ordinária. Uma estreia, portanto, tomada de novidades e honra para o parlamento santareno. “É com muita satisfação que tomei posse como mais novo vereador na vacância de meu amigo Alexandre Maduro. Hoje é um dia de muita felicidade para o vereador Andreo Rasera”, externou Rasera, que é um advogado, bastante conhecido pela sociedade do município.

O novo vereador da Casa agradeceu aos pares e aos servidores pela recepção. “Não só um sonho, mas uma
vontade”, disse ele, complementando que “não foi da forma que imaginávamos, mas por uma engenharia feita

pelo prefeito Nélio Aguiar”, referiu
se o emedebista ao mecanismo de negociação política que contou com a participação direta do chefe do Poder Executivo, em que culminou com a desincompatibilização de Henderson
Pinto do cargo de secretário regional de governo para concorrer a uma vaga na Câmara Federal, tendo Alexandre
Maduro assumido o cargo deixado pelo exvereador, assim, abrindo a vaga para Rasera, que era o primeiro suplente do MDB, partido com a maior bancada do Legislativo Municipal, juntamente com o União Brasil; ambos com quatro cadeiras.

Rasera se dirigiu aos pares, ao falar nominalmente com cada um, para afirmar que “seu papel [naquele discurso]é de fazer um reconhecimento a todos os vereadores. Estarei aqui desenvolvendo um papel parlamentar igual a vossas excelências”, ressalta.

O emedebista adentrou ainda ao tema abordado, também nesta sessão, pelo vereador Gerlande Castro (PSB), a respeito da proposta de criação de assentamento no Lago Grande. Andreo disse a Gerlande que é, da mesma forma que ele, contrário à ideia, e “que as áreas de extrativismo existem, mas é preciso ter um zelo de saber se não vão engessar uma região. As coisas podem acontecer, mas não podem desassistir a população”

“Sou um vereador que não enxergo, mas não tenho vergonha, não tenho milindração. Vim servir e buscar
trabalhar pela população. Para mim, é de fundamental importância que um novo ciclo comece. Em 192 anos de
Câmara, nunca uma pessoa com deficiência teve assento nesta Casa. As pessoas com deficiência precisam
trabalhar e ter acesso às políticas públicas”,
concluiu o vereador em sua primeira intervenção à tribuna da Casa do Povo santareno.

Por Jefferson santos jornalista da Ascom da Câmara de Santarém

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade