Obra de prolongamento da Moaçara causa transtornos no Residencial Salvação; vereador é acionado e cobra posicionamento do Executivo

0

Na manhã desta segunda-feira (15), o vereador Biga Kalahare foi acionado pelos moradores do Residencial Salvação para verificar as consequências da obra de prolongamento da Avenida Moaçara, no trecho que passa pelo conjunto habitacional.

Durante a chuva torrencial, algumas famílias tiveram suas casas invadidas pela lama que desce do morro. Sirlene Santos, moradora da Rua Carcará, a última do conjunto, é uma das pessoas que passam por esse transtorno quando chove forte. A moradora alega que os problemas iniciaram logo que os trabalhos de abertura da via começaram a ser executados na área.

“Antes chovia, mas não acontecia isso, mas depois que começou essa obra aí, pronto, veio quebrando mureta, veio destruindo tudo. Perdi minhas coisas; a casa ficou cheia de lama. Perdi meu guarda-roupa, colchão. Nos dias em que chove a gente não dorme”, lamentou a moradora, chorando.

Os integrantes de uma das associações de moradores da residencial pediram a presença do secretário municipal de Infraestrutura e da Defesa Civil para mostrar os prejuízos, após a chuva. Segundo Wildes Abenathar, responsável pela pasta de Meio Ambiente da entidade, os representantes da Prefeitura estiveram no residencial dialogando com os comunitários, mas o que foi repassado aos moradores não transmitiu tranquilidade. “Eles disseram que a construtora responsável pela obra fez as contenções para evitar novas enxurradas. Mas isso não vai acontecer nunca, porque a contenção que eles fizeram não aguenta uma chuva de uma hora”, destacou.

A comunidade conta com o apoio do vereador petista para buscar explicações referentes à obra. O parlamentar conversou com os moradores e visitou a casa de algumas famílias que se sentem prejudicadas. “A gente vai entrar com um requerimento pedindo algumas informações da Prefeitura. Vamos questionar, principalmente, se foi feito um estudo de impacto ambiental e social na área. Precisamos saber se o projeto contempla esses estudos, porque essas famílias não podem ser prejudicadas dessa forma” afirmou o vereador.

A resposta de Biga à demanda ocorreu logo, durante a sessão ordinária remota desta segunda-feira (15). O petista informou que protocolou Pedido de Informação solicitando à Seminfra informações técnicas com os seguintes questionamentos:

1) Valor total da obra;

2) Desapropriações feitas ou planejadas para execução da obra;

3) Se há estudo de impacto ambiental;

4) Havendo, se o referido estudo foi apresentado à secretaria Municipal ou Estadual

de Meio Ambiente;

5) Se há medidas de contenção aos danos ambientais causados; e

6) Se há medidas de contenção a danos materiais ocasionados por casos furtuitos

ou de força maior.

“Não se sabe se houve um estudo social e de impacto ambiental. A população da área está com medo que ocorra um desmoronamento. É necessário avaliar a situação da obra e dessas famílias”, finaliza

Por Daína Aben-Athar – Assessora de Imprensa do vereador Biga Kalahare 

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade