Poder Legislativo de Santarém dá início oficial aos trabalhos: “empenho, dedicação, trabalho e energia”

0

Vereadores da 19ª legislatura se reuniram no Plenário Vereador Benedito Magalhães para começarem as atividades parlamentares.

Como está prevista na Lei Orgânica Municipal, a fala do prefeito foi o ponto alto da Sessão Solene de Abertura dos Trabalhos da Câmara Municipal de Santarém, realizada na tarde desta segunda-feira (18/01), no Plenário da Casa Vereador Benedito Magalhães. Antes disso, o vereador Pr. Ângelo Tapajós (Republicanos) fez uma oração, e o Carlos Silva (PSC) falou em nome dos pares. “Foi uma honra representar todos os companheiros, vereadores. Na minha fala foquei no momento que estamos vivendo, temos que ser criteriosos, no momento em que o Legislativo precisa se voltar para toda essa situação, nós estamos no vermelho, e isso requer de cada parlamentar um cuidado, uma atenção melhor, e que a Câmara possa fazer o seu papel, ao lado povo, caminhando com o povo e cuidando do povo. Não deixaremos ninguém para trás”, enfatizou o socialista cristão, que ocupa a vaga de 2º secretário na Mesa Diretora.

O tema central do discurso de Carlos Silva causou movimentação também antes da sessão, dada a indefinição de realização da solenidade por conta do estado de alerta após o decreto do Governo do Estado, o que foi resolvido após a reunião do comitê de crise do município, poucas horas antes do evento. O colegiado decidiu por um “toque de recolher” em Santarém, em que alguns estabelecimentos deverão fechar totalmente enquanto se mantiver a classificação de zona vermelha para o município e região.

O secretário estadual regional de Governo Henderson Pinto também usou a palavra. Ele citou o momento crítico da pandemia do novo coronavírus, que gerou o decreto estadual, e desejou sucesso aos parlamentares da nova legislatura da Casa, onde ele já exerceu mandatos, inclusive na condição de presidente.

O vereador JK do Povão (PSDB) revelou apoio parcial à decisão do comitê. De acordo com ele, não foi correto determinar o fechamento de alguns estabelecimentos. “Tudo o que for de bom para a população, a gente vai apoiar. Em relação ao decreto do governador, a gente tem que ter cuidado, porque tem que se colocar no lugar do pai de família. Acho que o decreto baixado pelo comitê de crise está bom, só acho que não deveriam fechar estabelecimentos, deveriam continuar todos abertos, porque alguns foram prejudicados: academias, bares, lanchonetes. Respeitando as prevenções, cada um cuidando de seu estabelecimento, da prevenção”, ressalta.

A Casa, por sinal, seguiu o protocolo de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus, determinando um número reduzido de participantes, em que os vereadores foram recomendados a levar somente um acompanhante e os secretários municipais não puderam estar acompanhados. A recomendação foi feita pela Coordenadoria Jurídica da Casa. Além disso, todas as medidas foram seguidas como uso de máscara e distanciamento adequado entre as cadeiras.

O presidente Ronan Liberal Jr. (MDB) disse que “a partir de agora total empenho e dedicação, trabalho e energia não irão faltar para trabalhar pela população, como esta Casa tem feito em seus quase 192 anos de legislaturas”. O emedebista pontuou ainda que os parlamentares já têm projetos do Executivo de 2020 para serem votados. Ele ainda destacou que a Mesa Executiva suspendeu os efeitos da Resolução de fixação dos subsídios dos vereadores.

Por sua vez, o prefeito Nélio Aguiar leu a mensagem do Poder Executivo, pontuando os feitos de sua gestão em 2020, e os desafios para o novo mandato. O democrata inicia um segundo quadriênio à frente da Prefeitura de Santarém. Dentre as questões levantadas pelo gestor municipal, o repasse para a Saúde foi o que mais chamou a atenção. Segundo ele, o maior problema da área no município é financiamento. Nélio sugeriu que mais uma UPA 24h é necessária, e que Santarém é prejudicada com uma “regionalização” do atendimento.

Por Jefferson Santos – Jornalista da ASCOM/CÂMARA

 

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade